Currículo

DSC_1688.MOV.Quadro001.jpg

MEIO é um grupo de jovens criadoras e criadores dirigido e performado pela tríade Carolina Canteli, Everton Ferreira e Iolanda Sinatra, somada a performance e criação de Maria Basulto e a direção e criação audiovisual de Lucas Reitano. Tem como motivação pensar a dança enquanto campo ampliado, explorando a capacidade da dança ser ato artístico e também ato cívico na cidade, e também filme, e também arquitetura e urbanismo, e também fotografia, e também sociologia, e também saúde, e também política... É essencial para o grupo o exercício de habitar a urbe, as ruas, os palcos, a internet e espaços cênicos com o mesmo comprometimento ético e estético, desejando revelar em atos coreográficos, intervenções urbanas, gifs, postais, falas públicas, aulas, transmissões de vídeos, entre outros formatos de apresentação, possíveis modos de existir na cidade. O intuito é reformular a compreensão da subjetividade imposta pelo senso de “normalidade”, criando outras ficções, percepções de mundo ou mesmo questionando todo movimento dançado do nosso dia a dia. 


Na trajetória do grupo, destacam-se as seguintes realizações: 


Em maio de 2018 estrearam a intervenção urbana de dança ‘180’ pela programação “Cartografia do Possível” do Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo. Ainda em 2018 foram selecionados no Circuito Vozes do Corpo 2018 e no Festival do Instituto de Artes 2018 com a mesma intervenção. Em Novembro de 2019 realizaram a residência “Corpos-paisagens: corpos que atravessam os fluxos da cidade” no Sesc Pinheiros, convidando os artistas da residência a performarem o trabalho ‘180’ no Largo da Batata – Pinheiros. No final de 2020 foram contemplados pelo 28º Fomento à Dança com o projeto “Corpos-paisagens: corpos que atravessam os fluxos da cidade”, projeto que está em execução de modo virtual através de ações de formação, investigação e criação artística. Nele, estrearam em Maio de 2021  ‘Matérias ‘Movediças - ação acoplamento’, série episódica de 4 vídeos para 4 marcos históricos da cidade de São Paulo, tal qual realizaram uma série de ativações pelo entorno desses marcos, com “esculturas temporárias” e distribuição de arte gráfica e pequenos excertos poéticos em postais. Além disso, sua atividade mais recente foi a co-criação com artistas da residência que leva o nome do projeto, de 20 releituras de ‘180’, para o formato audiovisual e que está disponível neste site. Para assistir, clique aqui.

TRABALHOS ARTÍSTICOS

• ‘Matérias Movediças - Ação acoplamento’ (Estreia em Maio 2021) 

• ‘180’ (2018)

• Instalação ‘Eu Só Queria Não Ter Uma Cabeça’ (2017)

• ‘Eu Só Queria Não Ter Uma Cabeça’ (2016)

• ‘Durou Mais do Que Esperávamos’ (2013)

ATIVIDADES ARTÍSTICO-PEDAGÓGICAS

Módulos de aulas virtuais com Nina Giovelli e grupo MEIO através do projeto “Corpos paisagens: Corpos que atravessam os fluxos da cidade” - 28º Fomento à Dança da Cidade de São Paulo

Residência Corpos Paisagens: corpos que atravessam os fluxos da cidade (2019)

Práticas da Degustação da Gravidade (2019)

Residência ’180’ - CRDSP (2019)

Oficina 180 - FEIA 19 (2018)

Compartilhamentos de pesquisa de ‘Eu Só Não Queria Ter Uma Cabeça’ (2016)

 

FESTIVAIS E PROGRAMAÇÕES

Programação da #7 Ocupação Folias com a temporada de estreia de Matérias Movediças - ação acoplamento (2021) 


Programação de Novembro do SESC PINHEIROS, São Paulo (2019) 


Festival do Instituto de Artes - FEIA 17 (2016) e 19 (2018) UNICAMP, Campinas


Mostra dos Residentes do CRDSP (2017) e Cartografia do Possível (2018), Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo, São Paulo


9º CIRCUITO VOZES DO CORPO, Praça Piraporinha Estrada do M'Boi Mirim - São Paulo (2018)


Festival de Dança dos alunos da Graduação em Dança UNICAMP - UNIDANÇA, Campinas (2014);

EDITAIS E PRÊMIOS

1ª Edição do Prêmio Aldir Blanc de Apoio a Cultura na Cidade de São Paulo

Projeto “Corpos paisagens: Corpos que atravessam os fluxos da cidade” - 28º Fomento à Dança da Cidade de São Paulo

Projeto “Eu só queria não ter cabeça” - PROAC Primeiras Obras de Dança 2015